sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

COMENTÁRIOS ADICIONAIS - LIÇÃO 9 SANTIFICAÇÃO: vontade e chamado de Deus para nós

COMENTÁRIOS ADICIONAIS
LIÇÃO 9 SANTIFICAÇÃO: 
vontade e chamado de Deus para nós
03/12/2017



INTRODUÇÃO
Sem a santificação, nenhum homem jamais poderá ver a Deus (ver Heb. 12:14). A intenção do evangelho, é fazer a santidade divina tornar-se uma realidade em nossas vidas, tanto no sentido de ausência de vícios, como no sentido de presença de virtudes.

Em Hebreus somos conduzidos ao tema principal da epístola, Cristo como perfeito sacerdote para toda a humanidade. A clara alusão é ao pecado como uma contaminação, uma imundície da qual o homem não pode purificar-se. Faltando-lhe a purificação, ele não tem acesso a Deus. 

Os pecadores sentem sua contaminação, buscam por quem lhes possa restaurar sua pureza perdida. Acham consolo na promessa que diz: ‘...ainda que os vossos pecados são como a escarlate, eles se tornarão brancos como a neve...’ (Is. 1:18). 

A purificação do pecado inclui: 
1. A remoção do pecado da alma do pecador; 
2. a santificação de sua alma, ficando apagadas as máculas de caráter; 
3. a plena expiação pelo pecado; 
4. a restauração do pecador ao favor divino; 
5. a remoção dos empecilhos à transformação moral segundo a imagem de Cristo; 
6. a preparação para transformação segundo a imagem de Cristo, provocada pela transformação moral. 

TEXTO DE REFERÊNCIA 1 TS 4.2-8

A IGREJA EM TESSALÔNICA 

A história da fundação da comunidade cristã de Tessalônica se acha em Atos 17:1-14. 

Paulo fundou aquela igreja durante segunda viagem missionária, tendo depois partido precipitadamente de Tessalônica, após ter conquistado certo número de convertidos. Em Tessalônica, Paulo, Timóteo e Silas sofreram severas perseguições da parte dos judeus incrédulos e, debaixo de pressão, foram forçados a abandonar a cidade, dessa circunstância, portanto, é que surgiu a necessidade desta epístola, porquanto também os problemas surgiram na comunidade cristã de Tessalônica assim que partiram dali os pregadores cristãos. Dali partiram para Beréia; depois, para Atenas. Mas a retirada precipitada dos obreiros do evangelho deixou os membros da igreja de Tessalônica um tanto menos alicerçados nos ensinamentos cristãos, especialmente no que concerne às questões morais. 

terça-feira, 14 de novembro de 2017

COMENTÁRIOS ADICIONAIS - Lição 8 - A Ordenança da Ceia do Senhor - EBD Betel 19/11/2017

COMENTÁRIOS ADICIONAIS
Lição 8 - A Ordenança da Ceia do Senhor - EBD Betel 19/11/2017


INTRODUÇÃO

"Eis que estou à porta, e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, Entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele Comigo." Ap.3.20

A Ceia do Senhor e o batismo são as duas ordenanças instituídas por Cristo para serem observadas pela Igreja. A Ceia do Senhor surgiu da última páscoa de Cristo com seus discípulos antes da crucificação. O propósito da ceia é proclamar simbolicamente a morte de Cristo. Ele pede que cada cristão se prepare com cuidado cada vez que celebra ra Ceia do Senhor.

A Bíblia nos mostra claramente a origem da Ceia do Senhor, e isso encontramos nos Evangelhos de Mateus (26:26-29), Marcos (14:22-25) e Lucas (22:14-20), e também vemos sua prática posterior em Atos (2:42; 20:7) e 1 Coríntios (10:16; 11:23).

VIDEO AULA


1. CEIA DO SENHOR E SEU SIGNIFICADO


HISTÓRIA
Na noite anterior à sua morte, nosso Senhor Jesus Cristo reuniu-se com os discípulos no cenáculo (é o termo usado para o local onde ocorreu a Última Ceia e onde atualmente se encontra um grande templo. A palavra é um derivado da palavra latina cena, que significa "jantar") para tomar a refeição da páscoa. Todos os anos, o povo judeu reunia-se para celebrar a páscoa, uma refeição especial ordenada por Deus para comemorar a libertação de Israel.

Ele lançou uma série de pragas sobre o Egito, para livrar Israel do poder de faraó. Foi só após a última praga - a morte dos primogênitos em toda terra do Egito - que faraó finalmente concordou em deixar o povo partir. Os israelitas protegeram-se da praga contra os primogênitos aplicando sangue de um cordeiro morto nos umbrais das portas e nos beirais de suas casas. Depois, comeram o cordeiro assado, juntamente com pães asmos e ervas amargas, uma refeição que passou a ser conhecida como Ceia da Páscoa (ou passagem, pesach) porque o anjo da morte passou por eles.

Sempre que um israelita participava da festa anual da páscoa, lembrava-se de que Deus livrou sua nação da escravidão no Egito. A páscoa celebrada hoje ainda relembra esse grande livramento histórico, mas não vê o livramento maior que prenunciava: a cruz de Cristo.

Jesus tomou aquela antiga festa e a transformou numa refeição com um novo significado, quando instruiu os discípulos a beber o cálice e comer o pão em memória de sua morte em favor deles. O Calvário supera o Êxodo do Egito como o maior evento redentor da história.

Os cristãos não relembram o sangue dos umbrais e nas vergas, mas o sangue derramado na cruz.


COMO ERA A CEIA NOS TEMPOS DE JESUS

domingo, 12 de novembro de 2017

LIÇÃO 8 - A ORDENANÇA DA CEIA DO SENHOR - EBD Betel - Conteúdo da Lição - 19/11/2017

CONTEÚDO DA LIÇÃO




TEXTO ÁUREO
"Porque, todas as vezes que comerdes deste pão e beberdes deste cálice, anunciais a morte do Senhor, até que venha." 1 Co 11.26

VERDADE APLICADA
A Ceia do Senhor é uma ordenança de Cristo, um memorial de Sua morte redentora e um alerta de Seu retorno.

TEXTO DE REFERÊNCIA - 1 Co 11. 23-26
Porque eu recebi do Senhor o que também vos ensinei: que o Senhor Jesus, na noite em que foi traído, tomou o pão;
E, tendo dado graças, o partiu e disse: Tomai, comei; isto é o meu corpo que é partido por vós; fazei isto em memória de mim.
Semelhantemente também, depois de cear, tomou o cálice, dizendo: Este cálice é o novo testamento no meu sangue; fazei isto, todas as vezes que beberdes, em memória de mim.
Porque todas as vezes que comerdes este pão e beberdes este cálice anunciais a morte do Senhor, até que venha. 1 Coríntios 11:23-26

INTRODUÇÃO
Batismo e Ceia são ordenanças de Jesus. O batismo em águas aponta para nossa união com o Senhor em Sua morte, Sepultamento e Ressurreição; e a Ceia, para continuidade de nossa comunhão com o Senhor pela Nova Aliança.

1. CEIA DO SENHOR E SEU SIGNIFICADO
Um pouco antes de ser traído, Jesus se reuniu com Seus discípulos para uma reunião comemorativa que marcaria para sempre a humanidade. Essa refeição deveria ser comemorada pelas futuras gerações, para demonstrar o profundo significado que Ele fez por todos nós. A Ceia é um memorial de Sua morte; é a proclamação da Sua obra redentora e um alerta quanto ao seu retorno. (1Co 11.24-26).


1.1. O contexto da instituição da Ceia
A Ceia do Senhor é a segunda ordenança que Jesus deixou para a Igreja (o batismo em águas foi a primeira). Foi instituída pelo Senhor “na noite em que foi traído” (1Co 11.23), quando da celebração da última Páscoa com Seus discípulos (Lc 22.15). A Páscoa era uma das três grandes festas dos judeus, sendo as outras: Pentecostes e Tabernáculos. A Pascoa apontava para três fatos importantes na história de Israel: o fim da escravidão vivida no Egito; o início de uma nova vida; e o começo da caminhada rumo a Terra Prometida (Êx 12.1, 14, 27). A Páscoa judaica era tipo da perfeita obra da redenção consumada por Jesus Cristo: através do Seu sacrifício, Ele nos liberta da escravidão do pecado, nos proporciona um (novo nascimento) e nos garante, no futuro, estarmos “para sempre com o Senhor”.

sexta-feira, 10 de novembro de 2017

EBD BETEL - COMENTÁRIOS ADICIONAIS - Lição 7 - A Ordenança do Batismo em Águas 12/11/2017

COMENTÁRIOS ADICIONAIS

Lição 7 - A Ordenança do Batismo em Águas 12/11/2017



Textos de Referência
Mateus 3.13, 16; 28.19; At 2.38

Introdução

O batismo e a ceia são as duas ordenanças instituídas por Cristo para serem observadas pela Igreja. O batismo retrata a identificação do crente com Cristo em sua morte, sepultamento e ressurreição. Jesus em pessoa submeteu-se ao batismo por João antes de começar a batizar as pessoas.   Lc 3.3

Todos aqueles que professam a fé Cristão viveram ou ainda irão viver a experiência do Batismo. "Quem Crer e for batizado será salvo, mas quem não crer será condenado" Mc 16.16



Isto não significa que quem não teve a oportunidade de viver a experiência do batismo será condenado, lembra-se do caso do ladrão na Cruz que se arrependeu de seus pecados? Ele não foi batizado e mesmo assim foi aceito no reino de Cristo. Veja o que diz Paulo em Rm 2.14 "Os não judeus não têm a lei. Mas, quando fazem pela sua própria vontade o que a lei manda, eles são a sua própria lei, embora não tenham a lei."

Porém há os que receberam a mensagem de Cristo e a oportunidade do Batismo, ,neste caso o batismo se torna condição para pertencer ao corpo de Cristo.

VÍDEO AULA

1. Aspectos gerais sobre o batismo


Qual a História do Batismo? Onde ele de originou?  Como chegamos a ele?

O batismo já existia muito antes do início do movimento cristão. Para compreender as suas raízes precisamos voltar aos tempos do antigo testamento, o que eu gostaria de citar aqui é o batismo dos gentios no antigo testamento.


BATISMO DOS GENTIOS
O povo de Israel havia recebido as leis, as promessas, os profetas e as alianças de Deus. Eles cultuavam o Deus Verdadeiro. Algumas pessoas das chamadas nações gentias reconheciam isso e queriam se identificar com Israel, de modo a poder adorar o Deus verdadeiro corretamente.