sábado, 3 de outubro de 2015

EBD BETEL - COMENTÁRIOS ADICIONAIS Lição 1 - Abraão, Um Adorador Por Excelência - 4 de outubro de 2015

EBD BETEL - COMENTÁRIOS ADICIONAIS 
Lição 1 - Abraão, Um Adorador Por Excelência - 4 de outubro de 2015

Curta nossa página no facebook, CLIQUE AQUI!

PERSONAGENS  1 - Abraão e Isaque
PERSONAGENS 2 - Dois servos de Abraão E o Jumento
MATERIAL - Lenha, Brasas e a Faca 
O SACRIFÍCIO - Carneiro
LOCAL - Terra de Moriá
TEMA PRINCIPAL - O sacrifício de Isaque

Professor, conte e explique a história no início da aula, isso faz com seus alunos fiquem atentos a lição e aos poucos vá descortinando este extraordinário passagem bíblica.

Como está a nossa maturidade espiritual? Como nos comportamos mediante provações? Ansiosos? Confusos? Fujões? Ou somos fiel até o fim e pessoas equilibradas em situações adversas? Vamos extrair lições que irão nos ensinar a sermos maduros e convictos de nosso fé.

Introdução
O "Sacrifício de Abraão" é a chave da construção da história do patriarca, quando lemos o relato de Gênesis 22 levamos especialmente em consideração a descoberta de um Deus de Aliança, portanto podemos tirar para as nossas vidas preciosidades deste testemunho de obediência da fé de Abraão ,que nos dá uma visão de total maturidade espiritual de um homem de Deus em transformação.

Costumo dizer que precisamos de teologia, mas ela precisa andar em conjunto com uma vida transformada. Abraão tinha conhecimento de Deus aliado a uma vida de entrega e confiança total em Deus, era um homem que buscava confiar plenamente no Senhor. 

A história de hoje gira em torno de um possível sacrifício de criança, neste caso Isaque. Naquela época o sacrifício de crianças era uma prática comum com um vizinho de Israel, em Gezer, os cananeus (povo que vivia na Terra Prometida na época de Abraão) encontraram-se inúmeros esqueletos de crianças (os cananeus faziam seus sacrifícios nas colinas desta região), mas em Israel não há registro no livro de Gênesis desta prática no meio do povo de Deus, pelo contrário, vemos em Êxodo 13.2 que o primogênito deveria ser consagrado a Deus.


“Consagre a mim todos os primogênitos. 
O primeiro filho israelita me pertence.." Ex 13.2

E vamos ver nesta história um homem que esperou contra a esperança, que não colocou Deus contra a parede, que simplesmente obedeceu a voz do Seu Senhor, ele não decretou, não determinou, ele aceitou o que Deus havia ordenado. 

Vamos estudar a prova de Abraão diante da ordem de Deus e a a reação do Senhor diante da obediência de Abraão.

1. As atitudes de um adorador

1.1. Disposição para atender

ABRAÃO ATENDEU A ORDEM IMEDIATAMENTE
A ordem de Deus
 Verso 2 0 "Então disse Deus: “Tome seu filho, seu único filho, Isaque, a quem você ama, e para a região de Moriá. Sacrifique-o ali como holocausto num dos montes que lhe indicarei”. 

Obediência pura
Percebe-se no texto a repetição do verbo "IR" em concordância com a ordem de DEUS "VÁ"
  • v 3 - preparativos e partidas - e foi ao lugar que Deus lhe dissera 
  • v 4 - 6 - separação no terceiro dia - e foram ambos juntos.
  • v 7-8 - diálogo entre o filho e o pai - E eles foram os dois juntos.
Desde o começo de Gn 22 o narrador nos avisa que vai acontecer uma prova onde Abraão é submetido, se entendemos bem isso, vemos que o intuito principal desta prova é para conhecer o que está sendo provado. A prova ou tentação coloca a pessoa numa situação em que ela é levada é fazer suas provas e que vai revelar quem ela é de verdade.

É importante levantar esta questão em sala de aula, porque quando lemos detalhadamente este texto a narrativa inicial nos leva a observar como será o comportamento de Abraão mediante esta prova. A PROVA ESTÁ ALI, como ele vai reagir? É um ponto chave desta leitura. 

  • Como um servo de Deus deve ou pode se comportar mediante uma prova ou tentação? Abraão atendeu a ordem de Deus e nós? Como nos comportamos?
  • Na visão de Abraão a ordem torna-se uma prova. Por trás do versículo bíblico há toda uma história - "O teu filho, teu único, a quem tu amas" - Veja que provavelmente deve ter voltado na mente de Abraão a promessa de Deus que lhe daria um filho, é neste passado que as palavras ecoavam. E nós? Qual a nossa visão de uma prova de sermos submetidos a uma "perda" daquilo que nos foi prometido e dado pelo próprio Deus e o próprio Deus decidir nos provar para ver quem nós somos?
Abraão atendeu a ordem de Deus e nós?
Abraão não titubeou e nós?

Professor, é uma boa oportunidade para questões de reflexão, mas não se prenda somente neste ponto devido ao tempo de aula, prossiga. 

1.2. Disposição para o trabalho
COMO REAGIU ABRAÃO - UM HOMEM EQUILIBRADO E ÁGIL
A cena descreve os passos de Abraão. São atitudes de uma obediência sem falha. A descrição é precisa. 
  • Preparou o seu jumento.
  • Levou consigo dois de seus servos e Isaque, seu filho. 
  • Depois cortou a lenha para o holocausto e  partiu em direção ao lugar que Deus lhe havia indicado
A confiança de Abraão é grande, mas nem por isso é cega, Abraão já tinha conhecido o amor fiel de Seu Deus e agora passa por um momento que está sendo questionado, mas mesmo assim está sendo menos apto para continuar confiando, ele não fica parado, vai em frente, totalmente disposto a fazer o que Deus ordenou:
  • Dispõe-se
  • Prepara-se
  • Leva reforço
  • Corta ele mesmo a lenha - TRABALHA, PÕE A MÃO NA MASSA, NÃO ESPERA POR NINGUÉM
  • E vai em direção para onde Deus indica, caminha, anda, prossegue. 

1.3. Direção para prosseguir

O PERCURSO - ABRAÃO INDEPENDENTE DA IDADE, DISPOSTO E PREPARADO.
No versículo 34 do Capítulo 21 de Gênesis relata que Abraão estava em Berseba, fez um acordo com Abimeleque que pediu que tratasse bem a terra que o acolheu e morou muito tempo na terra dos filisteus. 

No Capítulo 22 temos a ordem de Deus que o envia para a Região de Moriá que pelo registro bíblico ficava a três dias de Berseba. 

Se nossas forças físicas vão sendo diminuídas na velhice, nossa maturidade espiritual vai se robustecendo.

O mapa abaixo foi extraído hoje do google maps para entendermos a distância entre Berseba, o Monte Moriá (ver a explicação abaixo, a diferença entre Monte Moriá e Terra de Moriá) e Jerusalém.




VEJA O COMENTÁRIO ABAIXO DA BIBLIOTECA ON-LINE Torre de Vigia
Alguns tem objetado à identificação do monte Moriá com o monte do Templo em Jerusalém, por causa da sua distância de Berseba e de não ser observável “à distância”. Mas, Abraão devia fazer a viagem “à terra de Moriá”. No primeiro dia, Abraão levantou-se cedo, selou seu jumento, rachou a lenha, colocou-a sobre o animal, e depois iniciou a jornada. (Gên 22:2, 3) Foi “no terceiro dia que Abraão levantou os olhos e começou a ver o lugar [a terra de Moriá] à distância”. 

Assim, o segundo foi o único dia só de viagem. Sobre a visibilidade do monte Moriá e a distância da viagem, O Novo Dicionário da Bíbliaobserva: “Entretanto, a distância do sul da Filístia para Jerusalém é de cerca de 80 quilômetros, que bem pode requerer três dias de viagem, e no livro de Gênesis o lugar em foco não é um ‘monte Moriá’, mas um dentre diversos montes numa terra desse nome, e as colinas sobre as quais Jerusalém está edificada são visíveis à distância. Por conseguinte, não há necessidade de duvidarmos que o sacrifício de Abraão teve lugar no local que posteriormente foi Jerusalém, se não na colina do Templo.” (Editor Organizador J. D. Douglas, 1966, Vol. II, p. 1073, Junta Editorial Cristã) 

Portanto, é concebível que a jornada de uns 80 km a pé, de Berseba ao monte Moriá, tivesse levado mais de dois dias inteiros.

Evidentemente, o monte Moriá ficava bastante distante da Salém do tempo de Abraão, de modo que a tentativa de sacrificar Isaque não ocorreu em plena vista dos habitantes da cidade. Não há registro de que estes tenham presenciado o incidente ou tentado interferir nele. Que o lugar ainda se encontrava um tanto isolado séculos depois pode ser deduzido de que, nos dias de Davi, havia uma eira no monte Moriá. Todavia, não se faz nenhuma menção de construções naquele lugar. — 2Cr 3:1.

Atualmente, o santuário islâmico conhecido como Domo do Rochedo fica no alto do monte Moriá.

2. Chegando ao lugar de destino

2.1. Ele viu de longe o lugar
O TERCEIRO DIA - TENSO, MAS CONFIANTE
No terceiro dia Abraão vê o lugar de longe após se levantar, no meio de dois diálogos, primeiro com os servos e depois com o filho, esta cena torna a ocasião aparentemente mais lenta e dolorida, reforçando a tensão do momento.

É aqui que vemos uma obediência profunda nos gestos e palavras de Abraão, ele se dirige aos servos e pedem que fiquem no local, até que ele adore e volte. 

Ele confia, como se ele estivesse se jogando no escuro "nós voltaremos até vocês" - Uma confiança obscura. E sua resposta a pegunta de Isaque demonstra mais uma vez uma confiança em Deus "Deus proverá". Abraão sabe que deve sacrificar seu filho, ELE IGNORA LITERALMENTE "OS PORQUÊS" A DEUS, ele se entrega e continua com o amor fraternal ao filho. Fica claro quando ele diz "meu filho". ELE AVISTA O LUGAR e vai.

2.2. O centro da vontade de Deus
ISAQUE, MAIS QUE UM FILHO
Ele é a promessa realizada e é aquilo que Abraão deveria renunciar naquele momento. Deus são se contenta com meias medidas, meias verdades, desde do início do relacionamento de Abraão com Deus, ele promete uma descendência, enquanto a promessa não se cumpriu, ele teve um filho com a serva de Sara, mas promessa é promessa, porém nesta situação:

Como poderia a vida nascer da morte? 
Não teria cabimento. Era através de Isaque que Deus cumpriria Sua promessa, Abraão pela fé precisar estar no centro da vontade de Deus. Era como se estivesse destruindo o que tinha sido construído por Deus. 

2.3. Disposto a ir até o fim
A PROVAÇÃO - ABRAÃO VAI ATÉ O FIM
Foi o teste mais severo que um pai e um filho tiveram que se submeter e pelo qual ambos passaram sem vacilar, com igual devoção e lealdade a Deus. Abraão estava disposto a ir até o fim.

Madame Guyon disse que "nossa fé não será realmente testada até que Deus nos peça para suportar o que parece insuportável, a fazer o que parece exagerado e a esperar o que parece impossível". 


Se você olhar para Abraão caminhando para Moriá com seu filho Isaque, a lição é: Nós vivemos pelas promessas, não pelas explicações.

Professor, é um excelente momento para um trabalho com a classe.


Trabalho em Equipe - Disposto a ir até o fim


Situação 1 - Sobre perseguição religiosa real aos cristão no ano 64
No ano 64 D.C Nero tinha 27 anos e  diz os historiadores que ele mesmo queria reconstruir a cidade de Roma, pôs fogo na capital, sete noites, seis dias de incêndio, quando terminas chamas dos 14 bairros de Roma, 10 estavam destruídos, os outros 4 restantes habitados por judeus e cristão dão a Nero a desculpa perfeita para colocar a culpa nos cristãos e começa sangrenta perseguição contra os crentes. Cristãos eram queimados vivos em praça pública. Os crentes eram enrolados em peles de animais, jogados nas arenas para os leões famintos devorarem. 

O que você faria se fosse um cristão desta época? Você estaria disposto a ir até o fim?

Situação 2 - Sobre fé e confiança

Se fosse você Abraão, o que realmente você faria no lugar dele desde o início quando Deus dá ordem. Você estaria dispostos para ir até o fim?

3. Deus proverá o cordeiro

3.1. A revelação de Cristo vivo
ABRAÃO E ISAQUE - JESUS -  O FILHO QUE VAI AO CALVÁRIO: 
  • Isaque foi o filho do coração, Jesus foi o Filho amado do Pai; 
  • Isaque foi até Moriá sem reclamar, Jesus foi obediente até a morte e morte de cruz; 
  • Isaque foi filho de profecias, Jesus é o Filho prometido; 
  •  Isaque teve seu sacrifício preparado, o sacrifício de Cristo foi preparado na eternidade; 
Jesus disse para os Judeus: “Abraão, vosso Pai, alegrou-se por ver o meu dia, viu-o e regozijou-se” (Jo 8:56). 
Em Moriá, quando Isaque foi colocado no altar, Abraão viu o dia da morte e da ressurreição de Cristo:
  • O Pai e o Filho agiram juntos – Em Gn 22:2,8 somos informados duas vezes que Pai e Filho andaram juntos. A Bíblia diz que Deus amou o mundo (Jo 3:16) e Jesus amou aqueles por quem morreu (1 Jo 3:16). 
  • O Filho tinha que morrer – Abraão pegou o cutelo e o fogo, ambos instrumentos de morte. No caso de Isaque houve um substituto, mas ninguém pode tomar o lugar de Cristo na cruz. 
  • O Filho teve que carregar o fardo do pecado sobre os seus ombros – A lenha é mencionada 5 vezes nesse texto. Deus fez cair sobre Jesus a iniquidade de todos nós. Ele foi transpassado pelas nossas transgressões.
  • O Filho foi levantado da morte – Isaque morreu apenas num sentido figurado (Hb 11:19), mas Jesus realmente morreu e ressuscitou. 
3.2. A porta dos inimigos
A PROMESSA DE DEUS - ABRAÃO RECEBE MAIS DE DEUS
A promessa de benção na vida de Abraão inclui que a descendência de Abraão seria sempre vencedora sobre seus inimigos, desde o início da sua caminhada com Deus, o próprio Deus faz uma promessa e agora ela é renovada. 

3.3. Adorando a Deus
A ADORAÇÃO DE ABRAÃO - SINCERA E COMPLETA
  • Abraão descreveu toda aquela dramática experiência como ADORAÇÃO (v. 5). Ele obedeceu a vontade Deus e procurou agradar a Deus. E Deus lhe disse: “Agora eu sei que temes a Deus”. Ele é um homem aprovado pelo céu. 
  • Abraão aprendeu um novo nome de Deus – (22:14) – Jeová-Jiréh, “O Senhor proverá, no monte do Senhor, o Senhor proverá”. Jesus é o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. Deus o proveu para você e para mim. 
Conclusão
Faça a conclusão com sua sala e Boa Aula.

EBD BETEL - CONTEÚDO Lição 1 - Abraão, Um Adorador Por Excelência - 4 de outubro de 2015

CONTEÚDO LIÇÃO 1 - EDITORA BETEL - 4º TRIMESTRE 2015
Abraão, Um Adorador Por Excelência4 de outubro de 2015

ACESSO AOS COMENTÁRIOS ADICIONAIS, CLIQUE AQUI!


Texto Áureo
“E disse Abraão a seus moços: Ficai-vos aqui com o jumento, e eu e o moço iremos até ali; e, havendo adorado, tornaremos a vós”. Gênesis 22.5

Textos de Referência

Gênesis 22.1-4
1 E aconteceu depois destas coisas, que provou Deus a Abraão, e disse-lhe: Abraão! E ele disse: Eis-me aqui.
2 E disse: Toma agora o teu filho, o teu único filho, Isaque, a quem amas, e vai-te à terra de Moriá; e oferece-o ali em holocausto sobre uma das montanhas, que eu te direi.
3 Então se levantou Abraão pela manhã de madrugada, e albardou o seu jumento, e tomou consigo dois de seus moços e Isaque, seu filho; e cortou lenha para o holocausto, e levantou-se, e foi ao lugar que Deus lhe dissera.
4 Ao terceiro dia levantou Abraão os seus olhos, e viu o lugar de longe.

EBD BETEL - 4º Trimestre de 2015: Maturidade Espiritual - CONTEÚDO E COMENTÁRIOS ADICIONAIS

Lição: 1 - 4º Trimestre - Editora Betel 
Data: 4 de outubro de 2015
Tema: Abraão, Um Adorador Por Excelência

Acesso ao Conteúdo: CLIQUE AQUI!
Acesso aos Comentários Adicionais: CLIQUE AQUI!
****************************************************************
Lição: 2 - 4º Trimestre - Editora Betel 
Data: 11 de outubro de 2015
Tema: A gratidão é o mais nobre sentimento da alma de um cristão
Acesso ao Conteúdo: CLIQUE AQUI!
Acesso aos Comentários Adicionais: CLIQUE AQUI!
****************************************************************

EBD BETEL - 4º Trimestre de 2015: Maturidade Espiritual


Revista EBD Jovens e Adultos

4º Trimestre de 2015: Maturidade Espiritual

Esse trimestre reserva grandes surpresas para cada um de nós. O intento dessas lições é nos conduzir a compreensão de que a cada etapa de nossas vidas Deus se revela. Por que Ele se revela? Porque estamos destinados à eternidade e precisamos ser polidos aqui, ainda nesta vida. Qual é a intenção de Deus em nos provar? O Eterno deseja que todos nós alcancemos maturidade e que esta maturidade nos mova para que estejamos prontos a cumprir os Seus propósitos em nossas vidas. Para que alcancemos sucesso, precisamos estar alicerçados na Palavra, a qual produzirá em nossas vidas a fé que o coração de Deus se agrada (Hb 11.6). A alma humana está repleta de negatividade. Somente uma vida cheia da presença de Deus pode conduzir o ser humano a uma vida acima da média. A nova vida em Cristo proporciona ao crente ver e discernir o que os olhos naturais não compreendem. O que parece loucura para pessoas comuns, nós chamamos de fé (1Co 2.14).

Sobre a Revista
Desde 1855 a Escola Bíblica Dominical é a maior instituição de ensino religioso em atividade no Brasil. É onde doutrinas, valores e mandamentos bíblicos são transmitidos de forma mais eficiente e duradoura.
Preocupamo-nos com a qualidade das nossas revistas de EBD desde a fundação da Editora Betel, por isso, a cada trimestre, escritores, pastores e líderes com reconhecida experiência teológica e doutrinária são convidados para comentar as lições que compõem a revista Jovens e Adultos.
Sempre trazendo temas que dizem respeito à realidade atual da Igreja de Cristo e dentro dos preceitos bíblicos, cada revista Jovens e Adultos é uma valiosa fonte para sermões e estudos bíblicos.

Fonte:http://www.editorabetel.com.br/revistas/jovenseadultos